quem acredita em nós, em nossa arte...

quem acredita em nós, em nossa arte...
quem acredita em nós, em nossa arte...

sábado, 11 de junho de 2011

do blog do http://www.teatroporquenao.com/



Quarta-feira, Junho 08, 2011
Dose dupla
No ano passado, o Teatro Por Que Não? participou do 11º Rosário Em Cena, na cidade de Rosário do Sul - RS, com o espetáculo O Abajur Lilás. O espetáculo encaixou-se na programação do festival na mostra chamada Sessão Maldita, mostra que dá espaço a obras de autores considerados "malditos", muitas vezes censurados, como Plínio Marcos e Nelson Rodrigues.


O Abajur Lilás na Sessão Maldita do 11º Rosário Em Cena, em julho de 2010. Foto: Cláudia Schulz

Nesse ano, acontecerá a 12ª edição do festival, de 04 a 10 de julho, e o Teatro Por Que Não? está novamente na programação, só que dessa vez em dose dupla. O espetáculo Fim de Partida, o último a ser apresentado durante o 1º MOSAICO, será um dos espetáculos concorrentes pela categoria adulta. Além disso, a Sessão Maldita será revisitada, através de No Fio da Navalha, espetáculo que temos em parceria com a Cia Retalhos de Teatro, e que é baseado na obra Navalha na Carne, do brasileiro Plínio Marcos.


Fim de Partida estará concorrendo na categoria adulta do 12º Rosário Em Cena. Foto: Gerardo Martinez

O festival destaca-se entre um dos maiores do estado e, neste ano, em sua 12º edição, foi contemplado com o Prêmio Funarte Festivais de Artes Cênicas 2010. Na programação, estarão também outros espetáculos de Santa Maria, como os dos colegas da Entrelinhas Cia. de Teatro, o Grupo Ação de Experimentação Cênica e a própria Cia. Retalhos de Teatro. Participam também outros grupos de diversas regiões do estado, além de produções do Mato Grosso e da Argentina.


Teatro Por Que Não? em parceria com a Cia Retalhos de Teatro apresentam No Fio da Navalha, na Sessão Maldita da 12ª edição do festival. Foto: Jean Pimentel

Confira a programação completa no blog do festival!

E dale teatrar!
Abraços e saudações!

TÁ NA MESA PESSOAL




RESTAURANTE KIBELÃNDIA
VALOR ESPECIAL BUFFET PARA GRUPOS E CONVIDADOS R$ 9,00
CARDÁPIO DE ALIMENTAÇÃO DO FESTIVAL DE TEATRO ROSÁRIO EM CENA ANO DE 2011.

SEXTA-FEIRA – ORGANIZAÇÃO
ALMOÇO
Arroz com lingüiça e feijão, e salada verde e salada mista.
E JANTAR – LIVRE OPÇÃO DO RESTAURANTE

SÁBADO – ORGANIZAÇÃO
ALMOÇO Arroz com galinha, salada e feijão
E JANTAR – LIVRE OPÇÃO DO RESTAURANTE

DOMINGO – ORGANIZAÇÃO
ALMOÇO Arroz, salada, carne, salada de massa
E JANTAR – LIVRE OPÇÃO DO RESTAURANTE


SEGUNDA – LIVRE SEM RESERVAS


TERÇA-FEIRA –
ALMOÇO
Arroz, feijão guisado com batata e salada verde.

JANTAR
Massa ao molho com carne (cozida na panela de pressão), arroz, salada verde.

QUARTA-FEIRA –
ALMOÇO
Arroz, feijão, polenta com molho de galinha, salada verde.

JANTAR
Galinha ao molho, arroz, feijão e salada verde.

QUINTA-FEIRA –
ALMOÇO
Arroz feijão, carne frita salada verde.

JANTAR
Arroz com galinha, feijão e salada mista.

SEXTA-FEIRA –
ALMOÇO
Arroz, massa ao molho de carne moída, feijão e salada verde.

SÁBADO –
ALMOÇO
Carne ao molho, arroz, feijão e salada verde.

JANTAR
MASSA AO MOLHO BRANCO E MASSA AO MOLHO VERMELHO (CARNE)
SALADA VERDE
ARROZ

DOMINGO –
ALMOÇO
Risoto e salada de maionese
DOMINGO –
JANTAR.
Arroz com lingüiça, feijão e salada verde.

Sucos –refris- águas - bebidas em geral por conta de cada participante

Doces, salgados e lanches em geral por conta de cada

quinta-feira, 9 de junho de 2011

DIDACTA E EM CENINHA






CRÉDITOS PAULO MELLO E PAULO EVANDRO - OFICINAS DE 2010
Rosário em Cena nos seus 12 anos apresenta o
EM CENINHA 3 ª edição

Com data prevista para o período de 04 a 10 de julho a cidade de Rosário do Sul, comemora os doze anos do Festival de Teatro Rosário em Cena. Uma realização da Associação Cultural Rosário em Cena, e Governo do Município.
Durante o Rosário em Cena tradicionalmente a cidade, escolas municipais e estaduais E DEMAIS PROFISSIONAIS DA ARTE E EDUCAÇÃO receberam oficinas, palestras, debates, bate-papos cênicos, convites promocionais e cortesias nas suas onze edições anteriores, difundindo cada vez mais a arte cênica na cidade. E PRINCIPALMENTE o acesso popular a espetáculos de grande porte oriundos das mais variadas cidades do Estado, conhecendo a arte de São Paulo e Rio de Janeiro e o intercâmbio internacional com Grupos e Espetáculos da Argentina.

Mas ações são importantes e marcam uma trajetória a Associação Cultural Rosário em Cena, EM CENINHA, com a seguinte finalidade:

- apresentar nas escolas da cidade hora do conto dramatizada com, com acesso gratuito dentro das escolas.
- apresentar hora do conto para empresas apoiadoras do evento, oportunizando a trabalhadores o acesso gratuito ao teatro.

- Oportunizar formação na área da Hora do Conto Dramatizada para atores locais.
CRONOGRAMA INICIAL

Durante as apresentações nos três turnos do Rosário em Cena, acontecerá nas escolas da cidade no período da manhã e tarde apresentações de Hora do Conto, enquanto uma escola recebe o EM CENINHA outras estarão indo ao Teatro assistir os espetáculos do Festival, fazendo durante a semana um ciclo de apresentações do FETARC e do EM CENINHA.


AÇÕES DO FESTIVAL ROSÁRIO EM CENA, PENSANDO MAIS NO SOCIAL E NA DIFUSÃO DA ARTE NA CIDADE.
INFORMAÇÕES DO EM CENINHA COM PAULO EVANDRO DA COSTA 84083308


OFICINAS, PALESTRAS E AÇÕES CULTURAIS FARÃO A TÔNICA NO FESTIVAL DE TEATRO ROSÁRIO EM CENA

Durante a semana enquanto ocorre o EM CENINHA em Escolas e empresas da Cidade, OFICINEIROS LOCAIS, ARTISTAS DA TERRA, estarão num circuito na cidade, desenvolvendo palestras, oficinas e demais ações da área do teatro e da educação na cidade com o PROJETO ROSÁRIO EM CENA DIDACTA. Com todas as inserções na comunidade essencialmente gratuitas, oferecidas pelo Governo do município de Rosário do Sul e Assoc. Cult. Rosário em Cena.

Conheça os jurados e debatedora IDA CELINA, nesta edição 2011





Ida Celina – Currículo resumido
Professora de teatro (interpretação teatral) e atriz.
Desenvolveu as atividades como atriz paralelamente ao exercício do Magistério, primeiramente como professora no Ensino Médio e após durante 12 anos de docência no Departamento de Arte Dramática da UFRGS, onde também exerceu a Chefia pelo período de sete anos.
Participou em temporadas de mais de 40 espetáculos teatrais ou poéticos, de onde se destacam: Ópera dos Três Vinténs; Jogos na Hora da Sesta; O Casamento do Pequeno Burguês; A Maldição do Vale Negro; Casca de Ferida; Almoço na Casa do Senhor Ludwig; Beckett na Veia. Mais recentemente participou de várias espetáculos dirigidos por Luciano Alabarse: Hamlet; Medeia; Édipo, Bodas de Sangue e, neste ano,Ifigênia em Aulis + Agamenon, na qual fez o papel de Clitemnestra (vide fotos).
Desde 1996 mantém em apresentações (106) o monólogo de autoria de Vera Karan “Maldito Coração, me alegra que tu sofras”, dirigido por Mauro Soares, com o qual recebeu prêmios de Melhor Atriz em quatro festivais nacionais de teatro.
Também recebeu dois Prêmios Açorianos de Melhor Atriz e dois como Melhor Atriz Coadjuvante, além de várias indicações.
Na área de cinema e TV tem trabalhado em vários curta-metragens e em dois longas, e em 2010 fez uma participação na novela Escrito nas Estrelas, da Rede Globo.
Desde 1989 vem acompanhando de perto o processo dos grupos teatrais do Estado, fazendo parte de comissões avaliadoras em diversos festivais de teatro.






ANTONIO CARLOS BRUNET
CURRICULO ARTÍSTICO
2011

1.1 – TEATRO – TRABALHOS COMO ATOR

*O FABULÁRIO DE KENMYDERA
Texto e direção de Ana Maria Taborda

*A MORTA
Texto de Oswald de Andrade
Direção de Ana Maria Taborda

*O MATADOURO
Texto e direção de Ana Maria Taborda

*A EXCEÇÃO E A REGRA
Texto de Bertolt Brecht
Direção Musical de Celso Loureiro Chaves
Direção Geral de Augusto Hernandez

*AS CRIADAS
Texto de Jean Genet
Direção de Augusto Hernandez

*A MANDRÁGORA
Texto de Maquiavel
Direção de Irene Brietzke

*O APRENDIZ DE FEITICEIRO
Texto de Maria Clara Machado
Direção de Irene Brietzke



*O RAPTO DAS CEBOLINHAS
Texto de Maria Clara Machado
Direção de Irene Brietzke

*O CASAMENTO DO PEQUENO BURGUÊS
Texto de Bertolt Brecht
Direção de Irene Brietzke

*O PROCESSO
Adaptação do livro homônimo de Franz Kafka
Direção e Adaptação de Beto Ruas

*FRANKIE, FRANKIE, FRANKENSTEIN
Adaptação de Frankenstein, de Mary Shelley
Adaptação e Direção de Irene Brietzke

*SALÃO GRENÁ
Canções de Kurt Weill e Bertolt Brecht
Direção Musical de Léo Ferlauto
Roteiro e Direção de Irene Brietzke

*HAPPY END
Texto de Bertolt Brecht
Direção Musical de Celso Loureiro Chaves
Direção de Irene Brietzke

*MAHAGONNY SONGSPIEL
Texto de Bertolt Brecht
Canções de Kurt Weill
Direção Musical de Cida Moreira
Direção de Cacá Rosset
*NO NATAL A GENTE VEM TE BUSCAR
Texto de Naum Alves de Sousa
Direção de Irene Brietzke

*O CASAMENTO DO PEQUENO BURGUÊS
Texto de Bertolt Brecht
Direção Musical de Cida Moreira
Direção de Irene Brietzke

*UNI, DUNI, TÊ
Texto de Denize Barella e Irene Brietzke
Direção Musical de Léo Ferlauto
Direção de Irene Brietzke

*PLUFT, O FANTASMINHA
Texto de Maria Clara Machado
Direção de Irene Brietzke

*A AURORA DA MINHA VIDA
Texto de Naum Alves de Sousa
Direção de Irene Brietzke

*A MALDIÇÃO DO VALE NEGRO
Texto de Caio Fernando Abreu e Luiz Arthur
Nunes
Direção de Luiz Arthur Nunes

*ESSÊNCIA DE MACACO
Texto de Marcel Prévert
Direção de Luciano Alabarse

*ASCENÇÃO E QUEDA DA CIDADE DE
MAHAGONNY
Texto de Bertolt Brecht
Canções de Kurt Weill
Direção Musical de Cida Moreira
Direção de Irene Brietzke

*MARGARETE E SUA MÃE
Texto de Irene Brietzke e Denize Barella
Direção de Irene Brietzke

*O SENHOR INQUILINO
Texto de Eugene Ionesco
Direção de Denize Barella

*ONDE ESTÃO OS MEUS ÓCULOS?
Textos de Karl Valentin
Roteiro de Irene Brietzke
Direção de Miriam Amaral

*ARLEQUIM, O SERVIDOR DE DOIS PATRÕES
Texto de Carlo Goldoni
Direção de Luiz Paulo Vasconcellos

*A SECRETA OBSCENIDADE DE CADA DIA
Texto de Marco Antonio de la Parra
Direção de Antonio Carlos Brunet

*NEW YORK. NEW YORK
Texto de Marlene Streeruwitz
Direção de Míriam Amaral
*NESTA DATA QUERIDA
Texto de Vera Karam
Direção de Mauro Soares

*CASCA DE FERIDA
Texto e direção de Luiz Paulo Vasconcellos

*AS CRIADAS
Texto de Jean Genet
Direção de Julieno Vasconcellos

*O BEIJO NO ASFALTO
Texto de Nelson Rodrigues
Direção de Helquer Paez

*O SANTO E A PORCA
Texto de Ariano Suassuna
Direção de Roberto Mallet

*CABARECHT
Canções de Kurt Weill e Bertolt Brecht
Roteiro e Direção de Humberto Vieira


1.2 – CINEMA

*SONHO SEM FIM
Direção de Lauro Escorel

*A DIVINA PELOTENSE
Direção de Sérgio Silva
*HEIMWEH
Direção de Sérgio Silva

*UM ZEPPELIN PASSOU POR AQUI
Direção de Sérgio Silva



1.3 – TRABALHOS EM LEITURAS DRAMÁTICAS

*MATEUS E MATEUSA
Texto de Qorpo Santo
Direção de Augusto Hernandez

*O REI DA VELA
Texto de Oswald de Andrade
Direção de Ana Maria Taborda

*RAMON, O FILOTETO AMERICANO
Texto de Carlos Escobar
Direção de Jairo de Andrade

*A KUKA DE KAMAYORÁ
Texto de Leilah Assumpção
Direção de Liana Villas Boas

*CASA DE PENHORES
Texto de Isis Baião
Direção de Ana Maria Taborda


*A BOLSINHA MÁGICA DE MARLY EMBOABA
Texto de Carlos Queiroz Telles
Direção de Antonio Carlos Brunet

*BARRELA
Texto de Plínio Marcos
Direção de Antonio Carlos Brunet

*ZONA CONTAMINADA
Texto de Caio Fernando Abreu
Direção de Luciano Alabarse

*A MISSÃO
Texto de Heiner Muller
Direção de Luciano Alabarse

*SANTIDADE
Texto de José Vicente
Direção de Luciano Alabarse

*POEMAS
Textos de Bertolt Brecht
Roteiro e direção de Antonio Carlos Brunet

*RETOMANDO A PALAVRA
Roteiro poético de Ana Maria Taborda
Textos de poetas diversos
Direção de Antonio Carlos Brunet



*AVENTAL TODO SUJO DE OVO
Texto de Marcos Barbosa
Direção de Antonio Carlos Brunet

1.4 – TRABALHOS DE DIREÇÃO

*VERDE
Show musical de NEI LISBOA
*A SECRETA OBSCENIDADE DE CADA DIA
De Marco Antonio da la Parra

*KING KONG PALACE
De Marco Antonio de la Parra

*RECITAL TIDELLI
Textos de Liana Timm
Roteiro e direção de Antonio Carlos Brunet

*ASPARGOS URUGUAIOS EM OFERTA
De Vera Karam

*AQUARELA BRASILEIRA
Show de Toneco da Costa

*A VIAGEM
De Maristela Marasca

*DONA DIVERGÊNCIA
Show de Lourdes Rodrigues


*A MAIS FORTE
De August Strindberg

*É CAPAZ DE PENSAREM QUE TEM ALGUMA
COISA ERRADA
Roteiro de textos de Vera Karam, Ivo Bender
e Luis Fernando Veríssimo

*SANTIDADE
De José Vicente

*A RAINHA DO RÁDIO
De José Safiotti Filho

*A SECRETA OBSCENIDADE DE CADA DIA
De Marco Antonio de La Parra


1.5 – Trabalhos como Cantor

*A MOÇA COM CHAPÉU DE TUTTI-FRUTTI

*RETRATO EM BRANCO E PRETO

*TEM UMA MULHER ATRÁS DE MIM
Direção de Mima Lunardi

*VELUDO COTELÊ
Direção de Luciano Alabarse


*DESCOBRIMENTO
Direção de Luciano Alabarse

1.6 – TRABALHOS DE DIREÇÃO ARTÍSTICA EM CD

*DONA DIVERGÊNCIA
CD de Lourdes Rodrigues

*DESCOBRIMENTO
CD comemorativo aos 500 anos do Descobrimento do Brasil, com show homônimo dirigido por Luciano Alabarse



1.7 – TRABALHOS EM OUTRAS ATIVIDADES TEATRAIS

*Desenvolve, paralelamente, trabalhos como Iluminador e Sonoplasta (como criador e operador), em vários espetáculos, como O Menino Maluquinho, sob a direção de Irene Brietzke; Maldito Coração, Me Alegra Que Tu Sofras, sob a direção de Mauro Soares; King Kong Palace, sob sua própria direção; Nesta Data Querida, sob direção de Mauro Soares; Sou Absolutamente Dona do Meu Nariz, sob a direção de Mauro Soares; O Beijo no Asfalto, sob a direção de Helquer Paez, e Santidade, sob sua própria direção.

*Entre 1997 e 2000 participou da Equipe de Produção do PORTO ALEGRE EM CENA, bem como da equipe de Produção do Projeto e intercâmbio entre as Prefeituras de Porto Alegre/Montevideo/Buenos Aires.

*Foi, durante dois anos, integrante da equipe de Avaliadores para o Troféu Açorianos e Tibicuera, para escolha dos melhores do Teatro Adulto e Infantil, respectivamente, da Prefeitura Municipal de Porto Alegre.

*Participa ativamente, desde 1996, como integrante da equipe de jurados/debatedores do Instituto Estadual de Artes Cênicas, da Secretaria de Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, em vários festivais, em nível estadual e também fora do RS.

*Em 2003 e 2004 integrou a equipe da Secretaria da Cultura do município de São Francisco de Assis, RS, sendo responsável por atividades de oficinas, entre os grupos de teatro da comunidade, e coordenador do Festival Comunitário de Teatro, daquele município, bem como organizador e coordenador do Projeto de Descentralização do mesmo município.


2. PREMIAÇÕES

*Menção honrosa como Intérprete, no MUSIPUC – Festival de Música da PUC/RS, em 1980, pela interpretação da música VERTENTE, de Carlos Patrício.

*Troféu Açorianos, de Melhor Ator Coadjuvante, em 1981, pelo espetáculo HAPPY END, de Bertolt Brecht, sob a direção de Irene Brietzke.

*Troféu Candango, de Melhor Ator no Festival de Cinema de Brasília, em 1985, pela atuação no filme A DIVINA PELOTENSE, de Sérgio Silva, na categoria 16mm.

*Prêmio de Melhor Ator, no II Festival de Teatro Isnard de Azevedo, em Florianópolis, em 1994, por sua atuação em A SECRETA OBSCENIDADE DE CADA DIA, sob sua direção.

*Melhor Ator no XXVIII FENATA – Festival Nacional de Teatro de Ponta Grossa, PR, em 2004, com o espetáculo AS CRIADAS, de Jean Genet, sob a direção de Julieno Vasconcellos.

*Prêmio Especial do Júri do VI Festival de Teatro Rosário em Cena, em Rosário do Sul, RS, em 2005, pela sua atuação irretocável em AS CRIADAS, de Jean Genet, sob a direção de Julieno Vasconcellos.

*Melhor Ator no XX FESTIVALE – Festival Nacional do Vale do Paraíba, em São José dos Campos, SP, em 2005, com o espetáculo AS CRIADAS, de Jean Genet, sob a direção de Julieno Vasconcellos.

*Melhor Iluminador, categoria Teatro Infantil, no Festival Santiago em Cena, Santiago, RS, com o espetáculo CHAPEUZINHO VERMELHO, sob a direção de Ildonir Padilha.

*Melhor Iluminador no VII Festival de Teatro Rosário em Cena, Rosário do Sul, RS, em 2006, com o espetáculo CHAPÉUZINHO VERMELHO, sob a direção de Ildonir Padilha.

*Melhor Diretor do Festival Santiago em Cena, Santiago, RS, em 2006, com o espetáculo É CAPAZ DE PENSAREM QUE TEM ALGUMA COISA ERRADA.

*Melhor Ator Coadjuvante no FERTAI, Festival Regional de Teatro de Ibirubá, Ibirubá, RS, em 2007, pelo espetáculo O BEIJO NO ASFALTO, de Nelson Rodrigues, sob a direção de Helquer Paez.

*Melhor Ator Coadjuvante no II FESTCARBO – Festival de Teatro da Zona Carbonífera, em Arrio dos Ratos, RS, em 2007, com o espetáculo O BEIJO NO ASFALTO, de Nelson Rodrigues, sob a direção de Helquer Paez.

*Melhor Iluminador no II FESTCARBO – Festival de Teatro da Zona Carbonífera, em Arroio dos Ratos, RS, em 2007, com o espetáculo O BEIJO NO ASFALTO, de Nelson Rodrigues, sob a direção de Helquer Paez.

*Melhor Sonoplastia no Festival Santiago Encena 2010, com o espetáculo ANO NOVO, VIDA NOVA, de Vera Karan, sob a direção de Ildonir Padilha.




MAURO SOARES

Mauro Soares, ator e diretor, estreou no teatro em 1966, atuando na peça Os Deuses Riem, em Pelotas, sob direção de J. R. Mendonça.
Mudou-se para Porto Alegre em 1977, onde continuou sua carreira. Entre seus trabalhos como ator destacam-se:
Os Dragões do 21º Dia (1978),
O Evangelho Segundo Zebedeu (1978),
A Lata de Lixo da História (1979),
Esta É a Sua Vida (1981),
Doce Vampiro (1982),
Pode Ser que Seja só o Leiteiro lá Fora (1983) –
todas sob a direção de Luciano Alabarse - e
A Carta Perdida (1990), direção de Shirley Rosário.
Em 1992, iniciou uma parceria profissional com Vera Karam, onde se revelou um diretor extremamente afinado com a sensibilidade e profundidade da dramaturga. Dessa união, surgiram sucessos como: Quem Sabe a Gente Continua Amanhã (1992), Dona Otília Lamenta Muito (1993), Maldito Coração, Me Alegra que Tu Sofras (1996), Nesta Data Querida (2001), Sou Absolutamente Dona do Meu Nariz (2002).
Em 2000, atuou em O Pagador de Promessas, com direção de Roberto Oliveira, em 2003, em Homem não Chora, direção de Shirley Rosário.
Em 2004, voltou a atuar sob a direção de Luciano Alabarse em Antígona, recebendo o prêmio Açorianos de melhor ator coadjuvante. Continuou a parceria em Hamlet (2006), Medeia (2007), Édipo (2008), Platão 2 em 1 (2009), Bodas de Sangue (2010) e Ifigênia + Agamênon (2011)
Desde 1994, trabalha no Instituto Estadual de Artes Cênicas, tendo participação ativa nos festivais de teatro do RS.






CURRÍCULO SANDRA LOUREIRO
Artista nas funções de ATRIZ, PROFESSORA DE TEATRO, DIRETORA.
Técnica nas funções de CENÓGRAFA, FIGURINISTA, MAQUIADORA, ILUMINADORA.

FORMAÇÃO:
Bacharel em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade Ritter dos Reis.

Bacharel em Artes Cênicas – habilitação em interpretação teatral pela Universidade Federal do Rio Grande do sul.

TRABALHOS COMO ATRIZ:
Iniciou suas atividades na função de atriz em 1984 com o espetáculo infantil A INCRÍVEL VIAGEM, de Doc Comparato com direção de Alfredo Fedrizzi.
Já participou em mais de 30 espetáculos teatrais, tais como:
- O ENIGMA DE CID - direção de Nestor Monastério; (1986)
- VIDA DE CACHORRO – direção de Nestor Monastério, PRÊMIO TIBICUERA DE MELHOR ATRIZ COADJUVANTE; (1987)
- OPERA DO INVASOR - direção de Camilo de Lélis; (1988)
- TUDO POR UMA PRINCESA - direção coletiva do grupo Teatro Dell’Arte, (1990)PRÊMIO TIBICUERA MELHOR ATRIZ COADJUVANTE e PRÊMIO DO SINDICATO DE MELHOR ATRIZ COADJUVANTE;
- O ESCORIAL - direção de João Castro Lima; (1991)
- O MACACO E A VELHA – direção de João Castro Lima, (1992) - PRÊMIO ATRIZ COADJUVANTE NO FESTIVAL NACIONAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP;
- HAPPY DAYS - direção de João Castro Lima; (1992)
- O GATO DE BOTAS - direção de João Castro Lima; (1994)
- ARLEQUIM, SERVIDOR DE DOIS PATRÕES – direção de Luiz Paulo Vasconcellos; (1994)
- MACBETH – REINADO DE SANGUE - direção de João Castro Lima; (1994)
- NOITE - direção de João Castro Lima; (1995)
- BAILEI NA CURVA – direção Júlio Conte; (1996)
- A TORRE - direção de João Castro Lima; (1998)
- QUEM CONTA UM CONTO AUMENTA E PRONTO – direção João Castro Lima. (2001)

TRABALHOS COMO PROFESSORA:
2011 - PROFESSORA EM ATIVIDADE EXTRACURRICULAR NO COLÉGIO
MARISTA IPANEMA – de 4 a 13 anos

2010 - PROFESSORA EM ATIVIDADE EXTRACURRICULAR NO COLÉGIO
MARISTA IPANEMA – de 4 a 13 anos

2009 – OFICINEIRA DO PROJETO DE DESCENTRALIZAÇÃO DA CULTURA DA
PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE: VILA BOM JESUS
MIM – Movimento por Infância Melhor – de 5 a 13 anos
CEA – Centro de Educação Ambiental – de 7 a 12 anos
- PROFESSORA EM ATIVIDADE EXTRACURRICULAR NO COLÉGIO
MARISTA IPANEMA – de 4 a 13 anos
2008 – OFICINEIRA DO PROJETO DE DESCENTRALIZAÇÃO DA CULTURA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE: VILA BOM JESUS – MIM PARA ALUNOS DE 5 A 16 ANOS; E CLUBE DE MÃES JARDIM JOCKEY CLUBE – CRISTAL, GRUPO DE TEATRO NA MATURIDADE.
- PROFESSORA EM ATIVIDADE EXTRA CURRICULAR NO COLÉGIO
MARISTA IPANEMA – FAIXA ETÁRIA DE 4 A 15 ANOS
- PROFESSORA DE TEATRO NA MATURIDADE na AABB- na SEMANA DO APOSENTADO.
- PROFESSORA DE CURSO DE MAQUIAGEM na CIA DE ARTE PARA O
GRUPO DA CAIXA – CAIXA DE PANDORA.
- PROFESSORA DE TEATRO NA MATURIDADE NA CIA DE ARTE

2007 – OFICINEIRA DO PROJETO DE DESCENTRALIZAÇÃO DA CULTURA DA
PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE: USINA DO GASÔMETRO- GRUPO DE TERCEIRA IDADE e VILA BOM JESUS- PARA ALUNOS DE 8 A 14 ANOS.
- PROFESSORA EM ATIVIDADE EXTRA CURRICULAR NO COLÉGIO MARISTA IPANEMA. FAIXA ETÁRIA DE 6 A 15 ANOS.

2006 – OFICINEIRA DO PROJETO DE DESCENTRALIZAÇÃO DA PREFEITURA
MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE – RESTINGA – ESTUDIO MULTI MEIOS, FAIXA ETÁRI A DE 8 A 11 ANOS e DE 11 A 15 ANOS.
- PROFESSORA EM ATIVIDADE EXTRA CURRICULAR NA ESCOLA MARISTA IRMÃO JOSÉ OTÃO. FAIXA ETÁRIA DE 5 A 7 ANOS.

2005 - OFICINEIRA DO PROJETO DE DESCENTRALIZAÇÃO DA PREFEITURA
MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE – REGIÃO SUL – CRISTAL
FAIXA ETÁRIA – ADULTOS E IDOSOS.
- PROFESSORA EM ATIVIDADE EXTRA CURRICULAR NA ESCOLA
MARISTA IRMÃO JOSÉ OTÃO. FAIXA ETÁRIA DE 10 A 13 ANOS.

2004 – PROFESSORA EM ATIVIDADE EXTRA CURRICULAR NA ESCOLA
MARISTA IRMÃO JOSÉ OTÃO. FAIXA ETÁRIA DE 10 A 13 ANOS.

2003 – PROFESSORA NA ESCOLA MARISTA IR. JOSÉ OTÃO.
FAIXA ETÁRIA DE 10 A 13 ANOS.

1999 - PROFESSORA UNIVERSITÁRIA SUBSTITUTA NO DEPARTAMENTO DE ARTES CÊNICAS - UFRGS.

1992 – PROFESSORA DE TEATRO – CENTRO COMUNITÁRIO GEORGE BLACK

Oficinas de Teatro ministradas através do Instituto Estadual de Artes Cênicas (IEACEN)
2010 – OFICINA DE INTERPRETAÇÃO TETRAL DENTRO DO PROJETO SEMEAR E COLHER, PROMOÇÃO DA FUNARTE, SEDAC E IEACEN NOS MUNICÍPIOS DE ROSÁRIO DO SUL, OSÓRIO, GRAVATAÍ, CRUZ ALTA E CAXIAS DO SUL.
2004 – MAQUIAGEM TEATRAL – Canela
2002 – INTERPRETAÇÃO TEATRAL – Viamão
2001 – IMPROVISAÇÃO TEATRAL – Canoas
1997 – BÁSICO DE TEATRO – Osório
1996 – INTERPRETAÇÃO TEATRAL – Santo Antônio da Patrulha, Lageado, Santiago, Tupaciretã
1991 – IMPROVISAÇÃO TEATRAL – Novo Hamburgo

OFICINA DE TEATRO MINISTRADA ATRAVÉS DA UFRGS:
1991 – IMPROVISAÇÃO TEATRAL – Porto Alegre - 1ª Semana Aberta de Teatro Universitário

PARTICIPAÇÃO COMO AVALIADORA-DEBATEDORA:
2010 – FESTIVAL DE TAETRO DE TRÊS COROAS – Três Coroas
2006 – FESTIVAL DE TEATRO INFANTIL – Guaíba
FESTIVAL DE ESQUETES TEATRAIS – Dois Irmãos
2004 – FESTIVAL DE SALTO DO JACUÍ – Salto do Jacuí
2003 – FESTIVAL DE ESQUETES DE GRAVATAÍ – Gravataí
2002 – FESTIVAL DE TEATRO INFANTIL – Guaíba
2001 – FESTIVAL DE TEATRO AMADOR – Viamão
2001 – FESTIVAL DE ESQUETES SESC – Cruz Alta
FESTIVAL DE TEATRO AMADOR – Viamão
1997 – FESTIVAL DE TEATRO AMADOR – Canoas
1996 – FESTIVAL DE TEATRO NO CONESUL – Pelotas
FESTIVAL DE TEATRO AMADOR – Passo Fundo
1995 – FESTIVAL DE TEATRO AMADOR – Novo Hamburgo
FESTIVAL DE TEATRO AMADOR – Canoas
1993 – FESTIVAL DE TEATRO DO VALE DO RIO DOS SINOS – NH

OUTRAS ATIVIDADES E FUNÇÕES:
2004 – Participação no episódio COLAPSO das HISTÓRIAS CURTAS da RBS
Propaganda da Skol - CASAMENTO
2003 – Participação no episódio DESCOMPASSADO CORAÇÃO das HISTÓRIAS
CURTAS da RBS
MEDÉIA - Salto do Jacuí – diretora, iluminadora, cenógrafa e figurinista
2002 – Participação no episódio UM POBRE HOMEM das HISTÓRIAS DO SUL da TVE

2000 – Palestrante no SEMINÁRIO ESTADUAL DE ARTES CÊNICAS- Arroio do Meio
Show O DESCOBRIMENTO – cantora e atriz – Direção de Luciano Alabarse,
Show e gravação de CD

1996 – AS AVENTURAS DE VOVÔ ROESSLER- Novo Hamburgo – diretora,
iluminadora, cenógrafa e figurinista

1995 – NEW YORK, NEW YORK – direção Miriam Amaral
cenógrafa – PRÊMIO AÇORIANOS DE MELHOR CENÁRIO

1992 – O ZEPPELIN PASSOU POR AQUI–atriz - curta metragem com direção de Sérgio Silva

1989 – FESTA DE CASAMENTO - atriz curta metragem com direção de Sérgio Silva.

Construindo o Sistema Estadual de Cultura. O Plano Estadual e os Colegiados Setoriais

Nos marcos da Conferência Cultura para o Rio Grande Crescer, ocorrida nos dias 29 e 30 de abril de 2011, na cidade de Santa Maria, buscamos consolidar nossos resultados esperados no processo, que diagnosticou diretrizes e ações para as diferentes regiões e setores da cultura no RS, apontando para a construção do Sistema e do Plano Estadual de Cultura, assim como dos Colegiados e dos Planos Setoriais, importantes instrumentos de uma Política de Estado para a Cultura neste próximo período.
Após 08 (oito) Encontros Preparatórios e 08 (oito) Diálogos Culturais, reunindo artistas, produtores culturais, gestores públicos da cultura, ativistas culturais entre diferentes agentes culturais do RS, afirmou-se o sentimento de construção desta iniciativa em um processo rico, dinâmico e descentralizado na sua relação com a comunidade cultural do estado..

Sistema Estadual e Plano Estadual

O Sistema Estadual de Cultura, consolida a intenção de fortalecimento das ações da Secretaria de Estado da Cultura, com foco na constituição de um Plano Estadual de Cultura, de caráter decenal, o fortalecimento do papel do Conselho Estadual de Cultura, e o estímulo ao FAC – Fundo de Amparo a Cultura, neste tripé, apresentam-se estes instrumentos que dialogam com a Política Estadual de Cultura a ser implementa no ano de 2011. O Sistema busca garantir uma unidade entre estas diferentes partes, que possuem ligação entre si e tem interações definidas a partir de uma noção de conjunto, em relação permanente entre si qualificando os processos e a totalidade dos instrumentos disponíveis nas diferentes esferas no estado.
Foi firmado entre o Ministério da Cultura – MinC e a Secretaria de Estado da Cultura, o acordo de Cooperação Federativa, tendo por objeto estabelecer as condições e orientar a instrumentalização necessária para o fortalecimento do Sistema Estadual, com implementação coordenada e/ou conjunta de programas, projetos e ações entre as diferentes esferas.
O Plano Estadual de Cultura é um instrumento de planejamento estratégico que organiza, regula e norteia a execução da Política Estadual de Cultura na perspectiva do Sistema Estadual de Cultura.
O plano terá caráter e dimensão pensada para 10 (dez) anos a partir de sua aprovação pela Assembléia Legislativa, estimulando o vínculo dos Municípios às diretrizes e metas dos Planos Estadual e Nacional de Cultura, por meio da adesão voluntária assinada no termo de cooperação entre o estado e os municípios. Os municípios que aderirem ao Plano Estadual de Cultura deverão elaborar os seus planos decenais até 1 (um) ano após a assinatura do termo de adesão voluntária.
O Plano tem a prerrogativa de definição dos marcos da Política Estadual de Cultura, definidos pelo reconhecimento e valorização para a diversidade, protegendo e promovendo as artes e expressões culturais do estado do RS..




O que são os Colegiados e Planos Setoriais?

Os Colegiados Setoriais são órgãos que integram a estrutura de debate público das Políticas Culturais da Secretaria de Estado da Cultura.
Os Colegiados são integrados por um plenário, presidido pelos seus coordenadores respectivos, escolhidos em processo democrático. Serão constituídas Assembléias Temáticas que definirão a organização e funcionamento destes espaços, a partir da aprovação de Regimentos Internos debatidos com os setores.
Entre as questões centrais a serem tratadas por estas instâncias, pode-se citar a prerrogativa de fazer o debate, analisar e acompanhar a solicitação de informações para contribuir com a definição de políticas culturais, suas diretrizes e estratégias relacionadas aos setores da cultura do RS, acompanhando a implementação do Plano Estadual, promovendo o diálogo entre a Secretaria de Estado da Cultura, sociedade civil e a comunidade cultural de nosso estado.
A organização dos Colegiados, passa pela definição de 05(cinco) membros titulares e suplentes da representação governamental e 10(dez) membros titulares e suplentes oriundos da sociedade civil, sendo 05(cinco) do setor criativo e 05(cinco) do setor produtivo. Será levada em conta a distribuição das 09(nove) regiões funcionais dos COREDES – Conselhos Regionais de Desenvolvimento, para garantir a representação regional neste processo.
Os Planos Setoriais são importantes instrumentos que orientam estrategicamente as principais questões atinentes aos setores organizados a partir dos colegiados, definindo diretrizes, ações e políticas setoriais a serem desenvolvidas pelos governos em suas diferentes instâncias.
O Calendário das Assembléias Temáticas, obedecendo a critérios estabelecidos na Conferência Cultura para o Rio Grande Crescer ocorrida na cidade de Santa Maria nos dias 29 e 30 de abril, será constituído assim:

27 de maio – 16:30 h. Colegiado de Memória e Patrimônio. Biblioteca Pública de Jaguarão. Rua General Marques, 284 -
11 de junho – 14 h. Colegiado das Artes Visuais. Local Auditório do MARGS. Pça da Alfândega-Centro. Porto Alegre.
13 de junho – 16 h. Colegiado de Museus. Local: Museu Treze de maio - Rua Silva Jardim, 1407 (quase esquina com a Serafin Valandro. Santa Maria.
27 de junho – 14 h. Colegiado da Música. Local Secretaria Municipal de Cultura, Largo da Viação Serria S/Nº (Antiga Estação Férrea) – bairro Centro. Santa Maria.
03 de julho – 10 h da manhã. Colegiado das Culturas Populares. Local: Escola de Samba Império da zona Norte. Avenida Sertório, 1021. Bairro Navegantes. Porto Alegre.
04 de julho – 10 h. Colegiado do Livro, leitura e Literatura. Casa de Cultura Mário Quintana – Sala C3 3º andar. Rua dos Andradas, 736. Porto Alegre.
08 e 09 de julho – início às 18 h do dia 08/07 e 09 h do dia 09/07. Colegiado do Circo. Local: UNISC – Universidade de Santa Cruz. Av. Independência,2293 – Bairro Universitário. Santa Cruz..
16 de julho – Colegiado do Teatro. Local Passo Fundo. :
23 de julho – 11 h. Colegiado da Dança. Local: Casa de Cultura Justino Martins. Av. Gal. Osório 1415 – Centro. Cruz Alta.
30 de julho – 09 h. Colegiado do Audiovisual. Local: Casa de Cultura Mário Quintana – Sala A2B2. Rua dos Andradas, 736. Porto Alegre.

domingo, 5 de junho de 2011

Cronograma rosário em cena 12ª edição ano 2011


Cronograma rosário em cena 12ª edição ano 2011
Cronograma rosário em cena 12ª edição ano 2011
“Porque a arte não tem fim...”
Abertura – segunda-feira JULHO 04 - às 18 horas – “HAPPY HOUR – Cena Cultural”, para autoridades e demais convidados.
Local – Clube Comercial
Espetáculo – ROMEU E JULIETA – Cia Retalhos de Teatro – Santa Maria – LIVRE – Direção Helquer Paez

Terça-feira – JULHO 05 - TEATRO JOÃO PESSOA – 100 ANOS A ETERNIDADE SE CONSTRUÍNDO
10 h – TEM UM MORTO EM MINHA CAMA – São Francisco de Assis – CIA Teatral Tio Pedro – Direção - Ildonir Padilha Rodrigues
15 h Espetáculo De Dança e Teatro- BRASIL DE TUDO UM POUCO – Grupo De Teatro e Dança Plácido De castro – Rosário do Sul- LIVRE – Coordenação Eduardo Ribeiro, Giane Ávilla, Rosenara Severo, Lívia Lima - Direção e Coreografia Paulo Evandro Costa
20 h – A PEDIDOS – REESTRÉIA SESSÃO NOBRE – AMOR ANGULAR – Art’&Vida Teatro – 15 anos. Rosário do Sul – ADULTO – LIVRE – Direção Paulo Evandro Costa

Quarta-feira- JULHO 06 - TEATRO JOÃO PESSOA – 100 ANOS A ETERNIDADE SE CONSTRUÍNDO
10h – FANDO E LIS “Mais Uma História de Amor”– Grupo Teatral “In Foco” - Itaqui - ADULTO – Direção Paulo Gizéria
15h – OFICINA DE TEATRO E EXERCÍCIOS CÊNICOS COM O ATOR E DIRETOR PAULO REZENDES DA CIDADE DE ITAQUI , ENTRADA FRANCA
20h – JANTAR DE GRAÇA – ENTRELINHAS Cia de Teatro- Santa Maria – ADULTO – Direção Mariana Lohmann

Quinta-feira – JULHO 07 - TEATRO JOÃO PESSOA – 100 ANOS A ETERNIDADE SE CONSTRUÍNDO
10h – ESCUTA-ME – CIA Teatral In Vento - Osório – ADULTO – Direção – Augusto de Fraga Cardoso
15h – A VELHA E O VAGABUNDO –Santo Angelo – Peppe Company Cia Artística – INFANTIL – Direção- Rogério Peppe

20h - BARRELA –Santa Maria – Grupo de Ação e Experimentação Cênica – ADULTO – Direção- Gelton Quadros – DESACONSELHÁVEL PARA MENORES DE 18 ANOS – SALVO PRESENÇA DE RESPONSÁVEL

Sexta-feira- JULHO 08 - TEATRO JOÃO PESSOA – 100 ANOS A ETERNIDADE SE CONSTRUÍNDO
09h 30min – FIM DE PARTIDA – Santa Maria- Grupo de Teatro Porque Não – ADULTO – Direção – Luiza de Rossi
15h - JOÃO E MARIA – Santa Maria – “Keras e Manis”- INFANTIL – Direção Elise Schenkel
20h- ADN (hijos sin nombre) – Buenos Aires – Argentina – Cia Tea Teatro – ADULTO – Horácio Medrano
23h – SESSÃO MALDITA – NO FIO DA NAVALHA – Cia Retalhos E Teatro Porque Não – Santa Maria – Direção - Felipe Martinez - DESACONSELHÁVEL PARA MENORES DE 18 ANOS – SALVO PRESENÇA DE RESPONSÁVEL

Sábado – JULHO 09 - TEATRO JOÃO PESSOA – 100 ANOS A ETERNIDADE SE CONSTRUÍNDO
10h – ADIVINHA QUEM VEM PARA REZAR? – Grupo Mosaico – Porto Alegre – ADULTO – Direção – Filipe Crucillo e Paulo Resendez
15h – A HISTÓRIA DOS CAMINHOS QUE SE CRUZAM – Os Intiquentos- Nova Mutum – MT – INFANTIL – Direção Alexandre Carrara
17h – BATE PAPO CÊNICO COM SATED-RS -PORTO ALEGRE- IDA CELINA WEBER Atriz Porto Alegre e participantes do Festival
20h – O INSPETOR GERAL – Grupo de Teatro da UNIJUÍ – Ijuí – ADULTO – Direção- Alberto Rodrigues
24 horas – FESTA A FANTASIA DO FESTIVAL e PREMIAÇÃO PARALELA - com– Paulo Resendez NO RESTAURANTE STATUS ANEXO CLUBE CAIXEIRAL R$ 15,00 convites limitados e exclusivos– fone para aquisição de convites 5584083308

Domingo- JULHO 10 - TEATRO JOÃO PESSOA – 100 ANOS A ETERNIDADE SE CONSTRUÍNDO
10h - DESCANSO
15h - PEDRO MALAZARTES – Grupo de Teatro da UNIJUÍ – Ijuí – INFANTIL – Direção – Alberto Rodrigues

19h – SÁTIRAS TEATRAIS E PREMIAÇÃO – com – Direção - Paulo Resendez

OBSERVAÇÕES:
MEDIADORA DOS DEBATES – IDA CELINA WEBER PORTO ALEGRE
SUPLENTES ADULTOS E INFANTIS
Informações com a organização – Presidente Paulo Evandro Costa 0xx55 84083308
CONVITES POPULARES
INFANTIS R$ 3,00
ADULTOS R$ 3,00
SESSÃO NOBRE AMOR ANGULAR R$ 5,00
SESSÃO MALDITA NO FIO DA NAVALHA R$ 10,00
FESTA A FANTASIA R$ 15,00 – LIMITADA E EXCLUSIVA